fbpx

Aspectos importantes dos aços para vergalhões

Para desempenharem seu papel com segurança e atenderem todas as exigências  normais do mercado da construção civil, devemos considerar oito aspectos muito importantes: “Processo de fabricação”, “Nervuras”, “Massa e Tolerância”, “Medidas Lineares”, “Bitola”, “Propriedades Mecânicas”, “Soldabilidade” e “Oxidação e Corrosão”. Vamos conhecer um pouco sobre cada um deles?

  1. Processo de fabricação Vergalhões podem ser obtidos por dois tipos de processos metalúrgicos: Laminação ou Trefilação. Com a laminação a quente, nas bitolas de 6,3 a 40,0 mm, são desenvolvidos os aços CA 25 e CA 50. Já com a trefilação a frio, nas bitolas de 4,2 a 6,0 mm, são criados os aços CA 60. Há dois tipos de laminadores a quente. Um deles é o laminador convencional de rolos Selvagem, de onde o vergalhão sai no formato de espiral contínua, que vai enrolando e, após o resfriamento, é compactado na forma de rolos de vergalhão selvagem. O outro tipo é o laminador contínuo de Carretel – aqui, o vergalhão sai continuamente e é enrolado esticado (tracionado), sem formar espirais, bem uniforme e compacto, tipo enrolador de carretel. Esta diferença contribui para que o rolo selvagem tenha muito mais tensões e torção do que o rolo em Carretel (ou spooler). O material em carretel é mais facilmente dobrável, atende melhor os requisitos de planicidade, retilinidade, dá menos perda por sucata de regulagem, permite maior velocidade de corte e dobra. A trefilação consiste em tracionar um vergalhão de 6,3 mm ou 8,0 mm por um tambor giratório através de uma fieira reduzindo o diâmetro gradativamente em vários passes, até atingir a bitola final desejada.
  2. Nervuras, Estrias e Aletas. Para propiciar melhor ligadura do vergalhão com o concreto, durante a laminação a quente os cilindros de laminação provocam nervuras (elevações superficiais) transversais (ou estrias, tipo espinha) ou longitudinais (aletas). A função da nervura transversal é não permitir o deslizamento no sentido longitudinal do vergalhão em estacas ou pilares, em relação à massa de concreto. A função das aletas ou estrias longitudinais é de não permitir o giro (rotacional) do vergalhão em relação ao concreto nas vigas e baldrames. 
  3. Massa do Vergalhão e Tolerâncias. Você sabe a diferença entre massa e peso? A massa de um material é a forma de medir o seu volume em kg. Isso significa que quando dizemos que uma barra de vergalhão CA 50 de 10,0 mm tem 7,5 kg, estamos nos referindo à sua massa. O peso é uma designação errada para tratar a massa. O peso é uma medida de força. É a característica com que a Terra atrai aquele corpo pela força da gravidade. Portanto, popularmente, dizemos que este aço tem, por exemplo, peso de 1,633 kg por metro, mas o correto é dizer que tem massa de 1,633 kg/metro. A massa do vergalhão é calculada com base na densidade do aço, que é de 7.850 kg por metro cúbico. A norma ABNT NBR 7480 indica os valores para cada bitola – incluindo massa nominal (conhecida também como massa de usina), massa máxima e massa mínima. As faixas de tolerância são expressas em porcentagem. A Udiaço utiliza para cada bitola um valor de massa comercial padrão no mercado como o valor médio das variações possíveis dos fornecedores – com valores sempre dentro da faixa de tolerância permitida pela norma.
  4. Medidas lineares – Comprimentos e Tolerâncias. Os comprimentos ou medidas lineares normalmente são apresentados em centímetros. Nos produtos de Corte e Dobra, aplicam-se aos comprimentos das abas, dos lados do estribo, transpasses e diâmetros. No caso de armados, além das medidas dos estribos, há também o comprimento dos elementos. Como toda grandeza física, as medidas têm tolerâncias, que são os intervalos máximos permitidos para as variações que ocorrem nos processos de produção.
  5. Bitola. A bitola do vergalhão corresponde ao diâmetro externo médio entre a altura e a raiz das estrias. É o diâmetro nominal de cálculo do vergalhão pelos engenheiros calculistas dos projetos. As medidas das bitolas, originariamente, vêm do correspondente em polegadas, devido às características dos laminadores americanos.
  6. Propriedades Mecânicas. Nosso artigo anterior se aprofundou nesse tema e você pode acessar ele aqui. Basicamente, as propriedades mecânicas classificam os vergalhões em três classes, cada qual com suas propriedades mecânicas: “Resistência ao Escoamento”, “Resistência à Ruptura” e “Resistência ao Dobramento”.
  7. Soldabilidade. A solda é um processo de união entre dois materiais, assim como ocorre com a fixação com parafusos, amarração e colagem, entre outros métodos. A princípio, todos os aços são soldáveis, inclusive aços inoxidáveis e aços de liga especiais. Também produzimos outro artigo que se aprofunda nessa questão e você pode lê-lo aqui. Um dos pontos mais importantes é que, quando se fala em um aço soldável ou não soldável, na verdade, estamos falando em “facilmente soldável” ou “não facilmente soldável”.
  8. Oxidação e Corrosão. Quando laminados a quente ou trefilados a frio, os vergalhões saem do processo com uma superfície acinzentada que propicia uma proteção superficial ao aço. Esta aparente proteção permite ao vergalhão resistir a até oito meses em ambiente coberto e quatro meses ao ar livre – só depois começam a aparecer indícios de oxidação. Mas você também precisa entender a diferença entre oxidação e corrosão. A oxidação é aquela superfície amarelada que aparece na superfície do aço, resultante da reação química entre o aço e a água ou oxigênio do ar úmido. Esta pequena película não prejudica em nada a qualidade do vergalhão. Pelo contrário: até permite melhor adesão do vergalhão ao concreto. No entanto, quando o nível de oxidação aumenta, o produto começa a ter uma aparência alaranjada, e isso indica que seu material base está sendo corroído. Também conhecida como ferrugem, a corrosão é o resultado deste processo. É uma pequena película de óxidos que ataca o metal base e pode comprometer a medida do diâmetro do vergalhão e, indiretamente, compromete os cálculos da ferragem do concreto. A corrosão então é inimiga e afeta a qualidade do material.
By | 2020-07-30T14:32:43-03:00 30/07/2020|Construção|