fbpx

Conheça a história da construção civil no Brasil, sua evolução e seus próximos desafios.

Por definição, você sabe dizer o que significa a expressão “construção civil”? Na verdade, é o nome utilizado para todo tipo de construção que interaja com uma comunidade, cidade ou população. A Construção Civil envolve todas as atividades de construção de edifícios, estradas, aeroportos, canais de navegação, túneis e obras de saneamento, por exemplo. Portanto, ela tem papel fundamental na civilização.

O nome “construção civil” é empregado até os dias atuais por causa da sua origem: no passado, a engenharia era dividida em duas grandes áreas: Civil e Militar. Com o tempo, essa divisão acabou e, atualmente, Construção Civil representa todo tipo de obra que conta com a participação de engenheiros e arquitetos civis em parceria com profissionais de outras áreas.

A Construção Civil é um dos fenômenos de maior representatividade no Brasil, e um importante indicador de crescimento da economia e até de movimentação da população pelo País. Isso acontece porque, cada vez mais, as grandes cidades estão recebendo novos moradores das cidades menores vizinhas – e a construção de novas estruturas urbanas é uma realidade pela qual observamos o crescimento constante dos principais municípios do Brasil. O papel da Construção Civil está diretamente ligado com o bem-estar da população, abrangendo também princípios de cidadania, como inclusão social e divisão entre espaços particulares e públicos.

Um fenômeno vital para a Construção Civil foi o surgimento da roda, encontrada entre os sumérios em 3.500 a.C. A ferramenta simplificou o transporte, o que provavelmente viabilizou estruturas gigantescas como as Pirâmides do Egito e a Muralha da China. Já no Brasil, a Engenharia Civil deu seus primeiros passos no período colonial, com a construção de fortificações e igrejas. O surgimento de escolas voltadas para a Engenharia Civil só se deu em 1810, com a chegada da Família Real.

 Foi nos anos 40 que a Construção Civil teve seu primeiro grande crescimento no Brasil do presidente Getúlio Vargas. Naquele momento, o governo realizou um alto investimento, com dinheiro público, nesta área. Para muitos, aquela década foi considerada o auge da construção civil no Brasil até hoje. O Brasil já começava a se destacar no conhecimento da tecnologia desse setor, dominando técnicas avançadas de construção. Nos anos 50 e 60, os maiores investimentos na Construção Civil vieram de empresas privadas.

Na década de 1970, durante o regime militar, a presença estatal voltou a acontecer com mais força, e as construtoras particulares passaram a construir somente os prédios de apartamentos e escritórios comerciais. Na década de 1990, já começava a haver uma preocupação maior com a qualidade do trabalho realizado e as construtoras começavam a se preocupar com mais intensidade em qualificar adequadamente seus profissionais.

E como anda hoje a Construção Civil no Brasil? Muitos especialistas enxergam o setor com otimismo. E o motivo é simples: uma parcela emergente da Classe C provocou um aquecimento do mercado imobiliário nacional. A política desenvolvida por governos anteriores, como o projeto “Minha Casa Minha Vida” foram peça-chave desse crescimento. Os grandes internacionais realizados no Brasil nos últimos anos, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, também aceleram o setor e trouxeram novos negócios e maiores faturamentos para muitas empresas da área. 

O que se espera do setor daqui para frente? É importante que, além de reformar e construir estádios de futebol, o setor da Construção Civil atue mais na criação de ampliação de obras estruturais importantes para a qualidade de vida dos brasileiros, como aumento de aeroportos e portos, melhorando o saneamento básico e posicionando, cada vez mais, a Construção Civil do Brasil também na direção do turismo sustentável.

Melhoras na mobilidade urbana também são esperadas, com investimentos em transporte e vias públicas. Com a crescente tendência do uso cada vez maior de veículos elétricos na mobilidade urbana (carros, motos, ônibus e micros modais como monociclos, bicicletas e patinetes elétricos) são esperadas iniciativas e investimentos dos governos para criar estruturas tornem fácil e segura essa mudança de estilo e vida.

Não há dúvida que a Construção Civil agora, e no futuro, continuará a ser um setor vital para desenvolvimento da economia brasileira e também, cada vez mais, para a qualidade de vida dos brasileiros. E a Udiaço, com toda a sua expertise no setor, continuará investindo para ser uma das protagonistas dessa história. 

 

By | 2021-03-04T13:54:07-03:00 08/10/2020|Construção|